Polícia

Homem é suspeito de matar a mulher e cometer suicídio em Eunápolis

José Carlos Freitas de Jesus, 56 anos, teria matado a mulher, a cabeleireira Lúcia Rodrigues de Oliveira, 41 anos, atirado no enteado e em seguida cometido suicídio.

A suposta arma do crime — um revólver calibre 38 –, foi encontrada em cima do peito de José Carlos, que estava na cama, de barriga para cima e com os braços abertos na altura na cabeça. O corpo de Lúcia também estava no quarto, caído no chão.

O filho de Lúcia, Fabrício Francisco de Oliveira, 20 anos, também estaria na casa na hora do crime e ficou ferido com um tiro de raspão na orelha.

O rapaz, que foi atendido pelo SAMU e levado para o Hospital Regional, contou que a mãe e o padrasto iniciaram uma das inúmeras discussões e que, após matar Lúcia, José Carlos também tentou assassiná-lo. Pessoas que estavam em um bar a poucos metros falaram que o jovem chegou desesperado, pedindo socorro.

Os móveis da casa, localizada na Fazenda Boa Sorte, em Ponto Bahia, a cerca de 20 quilômetros do centro da cidade, estavam revirados, um indício de que pode ter havido luta corporal.

A perícia ainda não divulgou com quantos tiros os dois morreram, mas no ouvido direito de José Carlos podia se enxergar, nitidamente, uma perfuração. Lúcia apresentava um ferimento na cabeça, com perda de massa encefálica.

Casal se conheceu em São Paulo – Familiares e amigos informaram que o casal morava no local há quatro anos. Lúcia conheceu José Carlos em São Paulo, onde passou uma temporada trabalhando logo depois de se separar do primeiro marido, com quem teve dois filhos. Ela resolveu voltar para a fazenda dos pais em Eunápolis e o convidou para vir junto.

Ainda de acordo com as declarações, José Carlos, que estava desempregado, tinha comportamento agressivo, já ameaçou matar outras pessoas da comunidade e não se aproximava dos parentes da mulher, tanto que eles não sabem informar qual era a sua profissão em São Paulo, onde também já foi casado e tinha filhos.

Os parentes de Lúcia, revoltados, afirmaram que ela era muito agredida pelo marido, que recentemente teria a deixado trancada no quarto por dois dias, mas ela tinha medo de dar queixa.

Informações do Radar64

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo