Economia

Mobilizadores denunciam escândalos nas contas públicas de R. do Jacuipe

Dentre as denúncias baseadas nas irregularidades encontradas estão suspeitas de cirurgias fictícias no Hospital Municipal, compras sem licitação, diárias sem comprovantes, admissões sem concurso e com salários inferiores ao mínimo, caminhão locado de propriedade do cunhado do prefeito (mas em nome de terceiros), material utilizado em obras que não condiz com as notas fiscais e outras irregularidades que não caberiam por extenso nessa matéria.

Em primeira página, o Informativo detalha a situação polêmica da Praça Landulfo Alves, já que a mesma foi reformada em 2006 com uma verba de R$ 580 mil, mas que, agora, o prefeito Lauro Falcão recebe mais R$ 230 mil do governo do Estado para a sua “conclusão”.

No pacote, o prefeito também assinou convênio com o Ministério das Cidades de R$ 1.480.715,40, dos quais R$ 296.143,08 já foram liberados em julho do ano passado para uma suposta nova reforma e, deduz-se, ampliação da referida Praça.

A polêmica é que esta Praça já havia sido dada por concluída. Agora a sociedade jacuipense assiste o poder público destruir metade da mesma obra, recentemente “concluída”, como quiosques, calçadas e etc.

Comenta-se que, na primeira “reforma”, a empresa que venceu a licitação deixou a obra, que foi assumida depois por uma empresa ligada ao então secretário municipal Clemente Oliveira.  

Educação em abandono

Além dessas denúncias, o Informativo aborda a triste realidade da Educação em Riachão do Jacuípe. Com fotos, os Mobilizadores ilustram o abandono, que, segundo o Informe Cidadão, o Secretário de Educação, Juscemar da Costa, atribuiu a responsabilidade aos alunos.

As imagens mostram equipamentos como cadeiras, carteiras, cisternas e galões de água, e tantos outros utensílios educativos amontoados e abandonados. Além disso, cisternas abertas, alimentos e utensílios de cozinha mal armazenados, e esgotos ao lado de cisternas.

Traz ainda o Informe Cidadão denúncias de irregularidades na Câmara de Vereadores, como funcionária fantasma, pagamento de diárias sem comprovantes, gasto excessivo em combustíveis e pagamentos a contabilidades e assessorias jurídicas acima do valor normal em comparação ao que é pago em cidades vizinhas ou do mesmo padrão.

Matadouro

Ainda nesta terceira edição, o Informativo traz matéria sobre o atraso nas obras do Matadouro Regional, o que, segundo os Mobilizadores, vem acarretando muitos prejuízos aos magarefes e comerciantes de carne do Município. Eles pagam R$ 70,00 pelo abate de um animal e R$ 300, 00 pelo transporte da carne.

Os recursos para a construção do Matadouro foram liberados há muito tempo, mas as obras se arrastam lentamente e nunca são concluídas. Em agosto completará 4 anos que a verba foi liberada, fruto de uma emenda do então deputado federal Walter Pinheiro (PT). Devido à situação, sabe-se que a Promotora do Município já deu um prazo ao Prefeito para a conclusão da obra, mas este prazo, inclusive, já venceu e os serviços continuam pendentes.

Denúncias de Alana

Outro fato que o leitor pode acompanhar nessa edição do Informativo é a matéria e entrevista realizada por este Portal com a comunicadora Alana Adrielle, pois, segundo, os Mobilizadores Sociais, o Informe Cidadão publicou na íntegra o referente texto, por considerar as revelações e propostas “indecentes” feitas pelo prefeito Lauro Falcão, como também de interesse público.

O cidadão jacuipense interessado nas questões do Município poderá, ainda, contribuir com o trabalho de fiscalização das contas públicas. No Informativo, os Mobilizadores deixam o convite e garantem que, com a ajuda de mais militantes, começarão as fiscalizações das contas referentes ao ano de 2010.

Por Laura Ferreira

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo