História

Candidato a soldado morre após fazer teste físico para concurso da P. Militar

Na quarta (29), após completar a terceira volta da prova de atletismo, Adailton apresentou sintomas de mal estar, sendo atendido pela equipe médica que acompanhava a realização das provas. O candidato foi conduzido ao atendimento médico pela Polícia Militar.

Segundo a assessoria de comunicação da PM, Adailton foi aprovado no concurso da PM em 2008 para o Curso de Formação de Soldado e havia passado nas etapas inicias do processo seletivo, mas não apresentou o exame toxicológico.

Ele entrou com uma ação na Justiça, e o juiz concedeu liminar garantindo que o candidato realizasse o teste de aptidão. Adailton não conseguiu realizar o teste na terça-feira (28), na Vila Policial Militar do Bonfim, e tentou novamente na quarta-feira (1º).

Em nota divulgada à imprensa, a assessoria informa que “o candidato apresentou, conforme edital do concurso, todos os exames exigidos que o tornava apto para a realização do TAF. Estes exames foram apresentados à Junta Médica de Saúde, que após avaliação convalidou pela aptidão à submissão dos exames”.

Além disso, a PM esclarece que”todo candidato que realiza o Testes de Aptidão Física (TAF) apresenta um conjunto de exames laboratoriais (sangue, fezes, urina), ergométrico com a finalidade de atestar a sua condição física e biológica para realizar a prova”.

 

Laudo fica pronto em 30 dias

Não avaliado ainda. Seja o primeiro quem avaliou este item!
Clique na barra de avaliação para avaliar este item.

O laudo que indicará as causas da morte de Adailton Lopes Pessoa, 29 anos, fica pronto dentro de 30 dias, segundo informações da Polícia Militar. O candidato a soldado morreu depois de realizar o teste de aptidão física para ingressar na PM da Bahia. 

Segundo o major Marcos Nolasco, médico da PM, Adailton passou mal depois de correr 800 metros e uma segunda vez no chuveiro, depois da prova. O candidato foi socorrido pela equipe médica que acompanhava a realização das provas e foi levado para o Hospital São Jorge na noite de ontem. Nesta quinta-feira (1º), ele piorou e acabou morrendo.

Adailton já tinha feito os testes físicos na última terça-feira, mas não conseguiu terminar as provas. Ele estava refazendo os testes ontem quando passou mal.

“Fui a primeira pessoa a pegar ele, encostar, as pernas dele bambearam, como se não aguentasse mais. Ele não perdeu os sentidos. Fiz um monte de perguntas médicas para ele, inclusive se tinha perdido sangue, tudo isso foi avaliado ali na pista mesmo. Ele negou tudo, falou só que não tinha se alimentado”, explica o major Nolasco.

Cerca de meia hora depois desse primeiro atendimento, Adailton voltou a passar mal e foi levado por uma viatura da PM para o Hospital São Jorge.

A suspeita do médico da PM é que o candidato tenha tido uma rabdomiólise. “É uma doença que ocorre após algum esforço físico, alguma lesão muscular, e que concorre com insuficiência renal e pode ocasionar morte”, diz o major Nolasco.

Ação na Justiça

Segundo a assessoria de comunicação da PM, Adailton foi aprovado no concurso da PM em 2008 para o Curso de Formação de Soldado e havia passado nas etapas inicias do processo seletivo, mas não apresentou o exame toxicológico.

Ele entrou com uma ação na Justiça, e o juiz concedeu liminar garantindo que o candidato realizasse o teste de aptidão. Adailton não conseguiu realizar o teste na terça-feira (28), na Vila Policial Militar do Bonfim, e tentou novamente na quarta-feira (1º).

Em nota divulgada à imprensa, a assessoria informa que “o candidato apresentou, conforme edital do concurso, todos os exames exigidos que o tornava apto para a realização do TAF. Estes exames foram apresentados à Junta Médica de Saúde, que após avaliação convalidou pela aptidão à submissão dos exames”.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) Nina Rodrigues na tarde de hoje. Com informações do Correio e TV Bahia.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo