Saúde

Sete pessoas são degoladas em chacina numa fazenda do interior de Goiás

A chacina aconteceu na fazenda Nossa Senhora Aparecida, a 43 quilômetros da sede do município, e ainda está cercada de mistérios. A polícia não tem suspeitos do crime e o pouco que sabem até agora está baseado no testemunho de um adolescente de 14 anos que conseguiu escapar do ataque.

A polícia tenta identificar um homem que esteve na casa das vítimas no meio da tarde de sábado. Segundo a testemunha, ele estava em uma moto grande, vermelha e preta. 

Segundo a Polícia Militar, as primeiras vítimas foram Lázaro de Oliveira Costa, de 57 anos, dono da fazenda, e seu filho, Leopoldo Rocha Costa, 22. Eles foram assassinados dentro da sede da fazenda e os corpos colocados no banheiro. A porta da casa estava trancada e, aparentemente, nada foi roubado. No momento do crime, a esposa de Lázaro estava ausente, em um retiro religioso.

Por volta das 18 horas, Joaquim Manoel Carneiro, de 61 anos, foi visitar Lázaro em sua casa junto com a esposa, Miracy Alves de Oliveira, 65, o filho Adriano Alves Carneiro, 22, e a nora Tames Marques Mendes da Silva, 24. Ele seguiam em um Fiat Uno e Adriano ficou no meio do caminho para conversar com Heli Francisco da Silva, 43 anos, vaqueiro da fazenda de Lázaro.

Joaquim, Miracy e Tames foram mortos e retirados do carro e deixados em um pasto a poucos metros da casa onde já estavam os corpos de Lázaro e Leopoldo. A polícia acredita que Adriano e Heli foram assassinados em seguida, quando caminhavam em direção à sede da fazenda.

Testemunha

 

A única testemunha é o filho do vaqueiro, de 14 anos. Ele seguia com Adriano e Heli para a casa de Lázaro quando retornou para separar dois cavalos que estavam brigando. Mais a frente, os dois homens encontrariam os assassinos.

Quando separava os cavalos, o adolescente ouviu gritos e foi até a casa do cunhado de Lázaro, que mora perto da fazenda. Na sede da propriedade, eles viram os corpos de Lázaro e Leopoldo pela basculante do banheiro e avisaram à polícia por volta das 21h30. Os corpos de Joaquim, Miracy, Tames, Adriano e Heli foram encontrados às 5 horas da manhã deste domingo próximo à casa.

Segundo o sargento Divino Celso Teles, responsável pelo 2º Pelotão de Polícia de Doverlândia, os policiais supõem que pelo menos duas pessoas tenham praticado o crime. O carro das vítimas ainda foi usado em um trecho da fuga e abandonado em seguida. O sargento informou que, inicialmente, não há informação de pessoas que poderiam ter alguma razão para matar as vítimas.

“O único que sabemos é sobre este homem esteve na casa de Lázaro em uma moto. Mas ainda não o identificamos”, disse o sargento. O policial informou que a maioria das vítimas é de Minas Gerais e que os corpos devem ser enterrados em suas cidades de origem.

“Doverlândia ficou muito chocada com o crime. Nunca havia acontecido nada parecido por aqui”, afirmou sargento Celso. Informações da Revista Veja.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo