História

Riachão: Homem que estava quase cego vira garoto propaganda do governo

Quem passa pela BR-324, circula por Feira de Santana, na Paralela, na Orla e em vários bairros de Salvador, percebe a imagem de Zé Barbeiro nos outdoors, ou nos jornais e blogs baianos.

Quase cego e angústia

A opacidade progressiva do cristalino em estado avançado foi o principal obstáculo para que o senhor José Pereira Leite ficasse privado de visão (cego), durante cinco anos.

Zé Barbeiro contou à nossa reportagem que foi um período de grande sofrimento e angústia. “Confesso que perdi até a vontade de viver! Fiquei esquecido pelos amigos, que me abandonaram não sei por qual razão. Não tinha ninguém por perto de mim para conversar, recebi muito desprezo”, lamentou.

“Cansei de sair de casa para alimentar os cachorros porque não poderia deixá-los com fome, e nunca chegava sem me perder. Passei vários anos sem exercer minha profissão, ainda gastei R$ 1.800,00 encaminhando um trabalho cirúrgico em Salvador, e nada resolveu”, contou.

No seu desabafo sobre a sua situação, Zé Barbeiro continuou. “Mas, nós estamos no mês de maio não é?”, indagou, recordando-se que foi exatamente nos dias 10 e 17 de maio as datas que uma equipe médica do governo do Estado realizou vários procedimentos para pacientes que estivessem com esse tipo da doença em Riachão do Jacuípe.

Muito feliz com a sua visão recuperada, Zé Barbeiro contou da emoção que sentiu logo após voltar e enxergar. “Foi ali, nas imediações do Hospital Regional João Campos, no primeiro olho, demorou aproximadamente uns doze minutos. De repente, o Dr.Cristiano tirou um pano que estava sobre a minha face, as primeiras pessoas que eu enxerguei foi a minha esposa e minhas filhas, que estavam me acompanhando”, disse.

“Fiquei todo abestalhado de tanta alegria, aí o cirurgião disse: ‘Seu Zé o senhor vai ficar dez dias de repouso’, mas a felicidade foi tanta que com três dias já estava percorrendo as ruas de bicicleta”, explicou.

Propaganda e barração

Apesar dos tempos difíceis em que ficou sem visão, seu José Pereira Leite superou o problema da doença e ainda ficou famoso depois que a Assessoria de Comunicação do Governo do Estado gravou uma propaganda mostrando o bom desempenho que lhe devolveu a oportunidade de voltar a enxergar.

“Eu estava aqui no meu salão e de repente João da Coelba chegou gritando: ‘Zé Barbeiro, o governador tá te chamando’. Andei um pouco e já o reconheci, com toda sua elegância, e me perguntou: ‘Tá me conhecendo?’, eu respondi é Dr.Jaques Vagner. Ele me abraçou e falou uma piada no meu ouvido, só que eu não posso contar pra vocês, e olhe que estava ao lado da sua esposa, dona Fátima”, narrou.

Inauguração

“Eu sou eternamente grato ao governador, que me convidou para uma inauguração do asfalto entre Serrinha á Alagoinhas. Só que, chegando lá, um pouco atrasado, quando tentei subir ao palanque fui barrado pelos seguranças: ‘não aqui só as autoridades’. Tirei as fotos que eu tinha ao lado de Jaques Vagner, quando apresentei um respondeu: ‘deixa entrar, parece que é amigo do homem’. Nessa hora em diante tive livre acesso e ainda discursei a pedido do governador”, destacou Zé Barbeiro.

O jacuipense contou para reportagem do Interior da Bahia que não pode sair de casa, que as pessoas gritam: “Eu lhe vir na televisão, outros falam, você saiu na capa do jornal A Tarde; é uma coisa muito satisfatória’’, comemorou.

A cirurgia de catarata é uma das ações do governo do estado, que através do programa Saúde em Movimento já beneficiou 378 municípios, sendo 280 mil consultas oftalmológicas e 65 mil cirurgias de cataratas.

Por Noroel Fernandez

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo