História

Riachão: Ação que levou músico Betuca à morte foi premeditada e traiçoeira

A tragédia, que aconteceu no sábado, dia 05, deixou a população de Riachão do Jacuípe chocada e triste. Embora existam poucas informações sobre o episódio, informações de testemunhas dão conta de que Betuca foi vítima de uma ação covarde, já que o agressor agiu pelas costas, enquanto ele descansava (ou dormia) no hall da casa da filha.

Betuca estava deitado em um coxão, quando despertou com o fogo tomando o seu corpo. Cristiano chegou até o local cuidadosamente, se aproximou da vítima e jogou gasolina em seu corpo. Depois, colocou fogo e ainda ficou observando, saindo apenas quando Betuca despertou.

Pedindo socorro e caminhando desesperado, a vítima ainda viu quem praticou a ação. “Cristiano está me matando”, dissera Betuca, com as chamas queimando a sua roupa e o corpo.

Ao ouvir os gritos, a filha de Betuca, Aldmira, e o esposo Adriano, correram para socorrer. Ainda com forças, Betuca repetia quem havia cometido a atrocidade. “Foi Cristiano, meu cunhado, quem fez isso comigo”, dissera.

O crime também foi visto por vizinhos, que anotaram a placa do carro usado por Cristiano. Ao ser visto, ele foi para o carro e saiu rápido, com destino ignorado.

Corpo queimado

Betuca foi levado para o Hospital Municipal de Riachão do Jacuipe, onde recebeu os primeiros socorros. Com o corpo bastante queimado, ele foi levado em estado grave para o Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador.

No HGE, na madrugada de sábado para o domingo, ele passou por uma longa e delicada cirurgia. No domingo a filha ainda conseguiu falar com ele, mas a partir da segunda-feira (07) o seu quadro foi se agravando. Em coma induzido, veio a óbito no último sábado, por volta das 17 h. O corpo foi sepultado no domingo (13), em Riachão, às 17 h.

Apuração do caso

 

Segundo informações de uma agente da Policia Civil ao Interior da Bahia, nesta terça-feira (15) as testemunhas começam a ser ouvidas. Depois o delegado irá encaminhar um relatório ao juiz local para solicitar a prisão preventiva de Cristiano, que está foragido.

Não se sabe qual o paradeiro do agressor. Depois da ação criminosa, ele saiu em um veículo com destino ignorado. A policia informou que faz buscas na região, mas não conseguiu qualquer pista até o momento.

Os motivos

Não se sabe o motivo da atitude violenta por parte do ex-cunhado, principalmente por Betuca ser uma pessoa que tinha muitos amigos e com um jeito sempre brincalhão.

Sabe-se que os dois tinham um caminhão em sociedade e que, nos últimos dias, houve um estremecimento na relação comercial entre eles, o que poderia ter motivado tamanha violência.

Na cidade as pessoas não se conformaram com o crime, principalmente da forma como ele aconteceu. “Tivesse ou não razão, nada justifica uma coisa dessas”, disse uma pessoa que pediu para não ter o nome revelado.

Da redação

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo