Educação & Cultura

Várias cidades do interior terão atrações gratuitas nos festejos juninos

Em São Francisco do Conde vai ter o Arraiá do Chico que, além da banda de Bell Marques e de seus filhos da Oito7Nove4, terá atrações mais juninas, como o grupo Calcinha Preta e os sertanejos Bruno & Marrone, Victor & Leo, e Cesar Menotti & Fabiano. Serão oito dias de festa, entre 22 e 29 de junho, e o melhor: tudo 0800!

O Chiclete com Banana também é uma das atrações – gratuitas – do São João de Cachoeira. A programação na praça da  cidade também inclui Calcinha Preta, Saia Rodada e Cangaia de Jegue. “O São João de Cachoeira foi o primeiro São João de rua da Bahia”, lembra o secretário de Cultura e Turismo do município, Lourival Trindade.

Ele estava nesta quinta (17) no I Salão de Turismo, no Centro de Convenções, onde, até sábado, diversos representantes do trade turístico da Bahia apresentam os atrativos do estado para os operadores de turismo e o público em geral.

Lá, o visitante encontra também o estande de Maragojipe, cidade onde a diversão free fica por conta de Seu Maxixe, Del Feliz e Tio Barnabé. Já no município de Barra, Limão com Mel, Calcinha Preta e Cacau com Leite são algumas das atrações confirmadas.

O diretor de Indústria, Comércio e Turismo da cidade, Francisco Xavier, conta que a festa costumava ser bem maior mas, por causa da seca que atinge a região, teve que ser reduzida. “O município foi um dos que tiveram estado de emergência decretado. Aí tivemos que cortar custos”.

Esse também foi o caso de Andaraí. Aliás, o caso de Andaraí foi pior. O expositor César Romero conta que este ano nem vai ter São João. “Não vai ter nada por causa da seca. Até a Festa do Divino Solidário, que é tradição na cidade (de 25 a 27 de junho) vai ser reduzida e vai servir para arrecadar alimentos para a zona rural”.

Outras cidades

Em outras localidades, como Campo Formoso, a festa maior acontece antes do São João. Lá, o Arraiá da Freguesia, também de graça, terá Bruno & Marrone, Pablo do Arrocha e Garota Safada entre os dias 9 e 13 de junho.

Em Ilhéus, a estiagem não chegou a atrapalhar a festa. O secretário de Turismo, Paulo Moreira, conta que ainda não fechou a grade de programação, mas algumas atrações já estão quase certas. “Tem Adelmário Coelho, Zelito Miranda, Cangaia de Jegue…”, enumera.

Ele acrescenta que a festa na cidade costumava ser menor, mas desde o ano passado foi transformada em produto turístico. “Foi um sucesso, conseguimos um público de 30 mil pessoas por dia, e foram seis dias de festa”, conta ele, que espera repetir o sucesso este ano.

O evento conta com o apoio da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia. “Este ano, estamos ajudando com R$ 100 mil para os eventos de grande porte, R$ 50 mil para os médios e R$ 30 mil para os pequenos”, explicou o secretário Domingos Leonelli, frisando que, para conseguir o financiamento, os municípios precisam preencher alguns critérios, como tradição da festa e características culturais que justifiquem o evento.

Ele lembra que a secretaria aconselhou os municípios afetados pela seca a repensarem o São João. “Onde a festa é só um divertimento local, ela deve ser repensada. Um carro-pipa é muito mais importante que o cachê de um artista. Mas, em outros casos, não é só divertimento. A festa movimenta a economia local”, diz. 

De acordo com a Setur, de 2006 para 2011, os desembarques aéreos no estado subiram de 2,9 milhões para 4,6 milhões e os investimentos no setor turístico aumentaram de US$ 2,2 bilhões para US$ 5,7 bilhões. Informações do Correio.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo