Política & Economia

Greve da PM: Força Nacional vai reforçar segurança em Salvador

No total, 150 policiais chegam à cidade às 22h e, em 48 horas, devem chegar outros 500. Também está prevista a presença de tropas do Exército, após entendimento do governador Jaques Wagner com a presidente Dilma Rousseff.

A informação foi divulgada pelo secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, durante entrevista coletiva realizada na noite desta quinta-feira (2), no auditório da SSP, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O comandante-geral da PM, coronel Alfredo Braga de Castro, e o delegado-geral da Polícia Civil, Helio Jorge, também participaram da coletiva.

Na sexta-feira (3) à tarde, o secretário Mauricio Barbosa e o coronel Alfredo Castro se reúnem com o comandante da VI Região Militar, general Gonçalves Dias, para definir a participação do Exército no reforço à segurança no estado.

 
O reforço no policiamento é anunciado diante da greve parcial dos policiais militares. PMs e bombeiros ligados à Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra) decidiram entrar em greve por tempo indeterminado em assembleia realizada na tarde da última terça-feira (31).

Ainda hoje, o Comando da PM anunciou o reforço no policiamento das cidades de Feira de Santana e Ilhéus. Para Feira foram deslocadas viaturas da Companhia Independente de Policiamento Especializado (CIPE) Litoral Norte. Já para a cidade de Ilhéus foram enviadas equipes da CIPE Cacaueira.

Segundo a PM, o objetivo do reforço policial é intensificar e garantir a segurança da população.

Greve ilegal

O juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública, Ruy Eduardo Almeida Brito, considerou ilegal a greve parcial dos policiais militares da Bahia e determinou nesta quinta-feira (2) o imediato retorno dos PMs ao serviço.

A decisão foi tomada após entrega do requerimento do Estado, por meio da Procuradoria Geral do Estado, à Vara da Fazenda Pública.

O juiz decidiu que a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (ASPRA – BA) suspenda o movimento grevista, cumprindo a decisão de imediato, sob pena de multa de R$ 80 mil, por cada dia de paralisação a partir desta quinta (2). O juiz intima ainda a Polícia Militar, via Comando Geral da instituição, para o cumprimento da determinação.

A decisão foi apresentada no final da manhã desta quinta-feira (2), pelo procurador geral do Estado, Rui Moraes, na sede da Fundação Luis Eduardo Magalhães, no Centro Administrativo da Bahia. Informações do Correio. 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo